Orçamento

Newsletter # 34

Nesta Newsletter você poderá ler: 
1. Como economizar combustível
2. As retas da Rota 66
3. Principais lançamentos Salão de Milão



  • Combustivel.html

    Como economizar combustível

    Na hora de encher o tanque da moto, temos que lembrar que não só temos de economizar combustível pelo preço da gasolina, como também pelo meio-ambiente. Como todos sabem, a fumaça que sai do escapamente prejudica a natureza, mas nós podemos reduzir esses danos com pequenas atitudes que fazem toda a diferença. Confira:

    1) Ao avistar o sinal vermelho, desacelere. Assim, além de economizar combustível para acelerar a moto a partir do zero, você economiza o desgaste dos freios;

    2) Não acelere o motor antes de desligá-lo. Isso gera um gasto desnecessário de combustível;

    3) Freadas bruscas aumentam o consumo e o desgaste, além dos riscos de acidentes. Cuidado!;

    4) Não dirija em alta velocidade. Testes realizados no centro de pesquisas da Petrobrás, com diversos veículos, mostram que o consumo de combustível a 100 km/h pode ser até 20% maior que a 80 km/h. Dirigir em velocidade moderada é mais seguro e econômico;

    5) Evite ficar parado com o motor ligado por mais de dois minutos. Você economiza combustível se desligar o motor e depois ligá-lo novamente se esse tempo for ultrapassado;

    6) Mantenha sempre o motor regulado. Evitando o desperdício de dinheiro e a poluição do meio ambiente;

    7) Mantenha sempre os pneus calibrados, direção e rodas ajustadas. Estudos indicam que pneus mal calibrados podem aumentar o consumo em até 10%;

    8) Confira sempre se a troca de óleo está em dia com o indicado pelo fabricante;

    9) Verifique os freios, pois caso eles estejam presos, o motor exige mais força para mover o veículo, aumentando, consequentemente, o gasto de combustível;

    10) Não carregue o que não for usar. Quanto maior o peso transportado, maior será o combustível gasto para transportar suas coisas. Isso acontece pois, com o aumento de peso, o motor exige mais força para transportar o peso excessivo;

    11) Ao se deparar com uma ladeira, acelere antes do início da subida, para não ter que pisar fundo no meio dela;

    12) Estacionar no sol pode acarretar perda de combustível, além do desgaste da lataria e o desconforto do piloto;

    13) Planeje sua rota, isso evita o gasto de combustível com caminhos mais longos ou errados;

    14) Acelere gradativamente. Pisar fundo pode aumentar o consumo de combustível.



  • RetasR66.html

    As retas da Rota 66

     

    "A mãe de todas as estradas, a rua principal dos Estados Unidos, a sangrenta Rota 66: todos os apelidos e histórias da Rota 66 estão numa exposição em cartaz até janeiro de Autry National Center, museu dedicado à cultura do Oeste norte-americano, localizado em frente ao zoológico de Los Angeles.

    O manuscrito original de “On The Road” (1951), de Jack Kerouac, está lá, num rolo de 36 metros deitado numa vitrine. Mas toda a mitologia da estrada remonta de muito antes da chegada dos beatniks, quando tempestades de areia tomavam o Meio Oeste do país nos anos 1930, afugentando mais de 200 mil trabalhadores rurais para a Califórnia, através da Rota 66. 

     

    O período ficou imortalizado no livro “As Vinhas da Ira” (1938), de John Steinbeck, cujo manuscrito está também em exibição. Há fotografias tiradas por Dorothea Lange de refugiados pedindo carona em Oklahoma, além do violão e das canções folk de Woody Guthrie, que compôs “Dust Bowl Ballads” (1940) ao ir do Texas à Costa Oeste.

    “Não era uma viagem agradável, um passeio hipster, como Kerouac escreveu, ou uma estrada mítica, como pensam os europeus. Era um caminho necessário de difícil”, diz o escritor americano Louis Owens num vídeo.

    A Rota 66 começou a ser construída em 1926, atravessando oito Estados, de Chicago a Los Angeles. Seu declínio teve início em 1956, com o anúncio de um novo sistema de autoestradas. A clássica série de fotos de postos de gasolina feitas por Ed Ruscha em 1962 ganha destaque na mostra, ao lado de imagens tiradas três décadas após ter Jeff Browns. Nenhum dos postos estava mais em funcionamento. (...)"

    Texto extraído da edição de 6 de julho de 2014

    da Folha de São Paulo e escrito por Fernanda Ezabella

     



  • Milao.html

    Principais lançamentos Salão de Milão 

    Entre os dias 6 e 9 de novembro de 2014 ocorreu o famoso Salão de Motos de Milão, no qual mais de 600 mil pessoas estiveram presentes. 

    Dezenas de marcas aproveitaram para lançar novos modelos, mas os destaques ficaram com: Harley Davidson, BMW, Honda, Kawasaki, Triumph, Ducati e Yamaha. 

    A Harley inovou ao lançar uma moto elétrica, enquanto que a BMW optou por lançar uma moto para longas viagens, a S 1000 XR.

    Já a Honda levou uma versão de rua da moto do torneio em que a marca foi campeã, a RC213V-S deu ao público o sentimento de pilotar nas pistas! 

    A Kawasaki foi destaque pela moto meio Transformers que levou ao salão, a Ninja H2, que será comercializada na Europa a partir do próximo ano!

    A Triumph preferiu exaltar sua tradição, apresentando apenas melhorias mecânicas no já conhecido modelo Tiger.

    A Ducati ficou conhecida no evento como uma 'bomba', por ter antecipado as melhorias dos concorrentes. Aqui, o ditado foi o oposto da realidade, para nos mostrar que tudo que está bom, pode melhorar!
     

    A marca Yamaha também escolheu ressaltar a pegada esportiva da Honda, aprimorando o modelo YZF-R1, tornando-a quase irreconhecível e com uma potência de dar inveja!

     



Cadastre-se