Orçamento

Newsletter # 16

Nesta Newsletter você poderá ler: 
1. Honda XL700V Transalp
2. Hackberry General Store
3. XVI Encontro Paulista de Carros Antigos
4. Harlistas: An American Journey

 



  • HONDA.html

    Honda XL700V Transalp

     

    Aguardada por muitos anos pelo consumidor brasileiro, a Honda Transalp chega para aumentar a gama de opções no segmento big-trail.  Já tradicional no mercado mundial, o início de sua produção data de 1987, quando foi lançada a XL 600 V, que passou por atualizações ao longo dos anos, se adequando às normas antipoluição e aperfeiçoou suas qualidades. Seu motor sempre foi bicilindrico em V a 52°, com refrigeração líquida, mas sua capacidade cúbica aumentou de 583 cc para 647 cc e mais recentemente, em 2008, para 680 cc.

    O modelo fabricado agora no Brasil é o mesmo que foi lançado no exterior em 2008, ainda atual mas  considerado já defasado por alguns. A nova Transalp tem uma característica mais voltada para o uso estradeiro, mas ainda com boas condições de enfrentar um fora-de-estrada moderado.

    Seu painel é bastante completo, apresenta um conta-giros analógico, mostrador digital com várias informações (velocidade, hodômetros parcial e total, relógio, indicador de combustível e temperatura do motor) e luzes espia.

     O motor é bastante elástico, uma característica das motos nesse segmento. Sua boa estrutura oferece confiabilidade, torque disponível desde os baixos giros e uma potência razoável para sua capacidade cúbica: 60 cv. Por se tratar de uma bicilíndrica, tende a vibrar um pouco em velocidades acima de 120 km/h, característica mais notada nas mãos, pois as pedaleiras são de borracha, suavizando bastante o desconforto causado pela vibração.

    O consumo não é dos melhores, ficando na casa dos 17 km/l a uma velocidade média de 120 km/h, talvez em parte devido ao peso do conjunto – 215 kg em ordem de marcha. Os freios são muito bons, contando com 02 freios na dianteira, um na traseira e ABS (opcional).

     
     

    Concorre com a XT 660 da Yamaha, a G-650 da BMW (estas monocilíndricas), a Suzuki V-Strom 650, a Kawasaki Versys 650 e a BMW 800 GS.

    Começou a ser vendida nas concessionárias há cerca de um mês, seu preço sugerido pelo site da Honda é de R$ 31.800 para o modelo STD e R$ 34.800 para o modelo com ABS. Consultando algumas concessionárias da grande São Paulo, encontrei ágio nos modelos, variando entre R$ 34 e R$ 36 mil, com tendência a normalizar nos próximos meses.

    Fica Técnica
    Potência

    60 cv a 7.750 rpm

    Torque

    6,12 kgf.m a 6.000 rpm

    Cilindrada

    680,2 cm³

    Taxa de compressão

    10:1

    Refrigeração

    Líquida

    Consumo médio a 120 km/h

    17 km/l

    Velocidade máxima

    188 km/h

    Peso em ordem de marcha

    214/219(ABS) kg

    Altura do banco

    841 mm

    Tanque de combustível 17,5 l



  • GS.html

    Hackberry General Store

     

    Imagine um museu/armazém com todo o tipo de produtos e lembranças dos tempos áureos do velho oeste. O visual tão emblemático faz de Hackberry um dos pontos altos do roteiro Route 66 & Wild West. Saindo de Kingman pela Rota 66, o local está situado num ponto isolado da estrada, há cerca de 1 hora e meia.

    Logo na entrada  02 bombas de combustível muito antigas, um belíssimo Corvette 1957 vermelho conversível,  um Ford Modelo A e muitas, muitas quinquilharias.

    Dentro da loja se encontra quadros nas paredes e diversos artigos com o tema da rota. Não deixe de experimentar o refrigerante “Route 66 root beer”. No teto, a tinta foi substituída por placas de carros de todos os estados americanos. Há também um mapa mundi com notas de diversos países assinadas e alfinetes que marcam os lugares de origem dos aventureiros. Hackberry é parada obrigatória de grupos que percorrem a Rota 66 com carros antigos e motos.

    Do lado de fora, nos fundos, um museu ao ar livre com diversos carros, muitas raridades à venda, por preços que podem variar entre U$ 1.500 e  U$ 3.500.

     
     

    O Início

    Muito antes da própria Rota 66, Hackberry, no Arizona, era uma comunidade de fazendeiros, mineiros e suas famílias. Em 1874, a Mina Hackberry iniciou suas atividades no garimpo de ouro e prata, quando alguns garimpeiros construíram um campo de mineração no lado leste das montanhas Peacock. Em 1882 chegou a ferrovia trazendo o gado dos fazendeiros e levando o ouro e a prata. Hackberry General Store era o armazém destinado a abastecer essas famílias que viviam próximas à linha do trem, afinal de contas, ir e voltar a Kingman num Ford Modelo A era tarefa para pelo menos um dia, pelo que ainda viria a ser a Rota 66. Foram anos de prosperidade até 1919, quando a mina encerrou suas atividades.

    Com a chegada da Rota 66 na década de 1920, o armazém voltou a prosperar, até que a rodovia interestadual levou o tráfego de veículos entre Kingman e Seligman e Hackberry encerrou suas atividades. No início da década de 1990, Bob Waldmire passava por ali com sua Kombi e encontrou o local abandonado. Comprou e reformou para reabertura, em 1992. Hackberry tornou-se um museu que resgata a memória e o espírito das décadas passadas. Bob faleceu em 1998 e o local foi comprado pelos irmãos John e Kerry Pritchard, que são seus atuais proprietários.

     

  • Carro.html

    XVI Encontro Paulista de Carros Antigos

     

    De 23 a 26 de Junho de 2011 ocorreeu em Águas de Lindóia, SP, o XVI Encontro Paulista de Autos Antigos, uma festa que todos os anos reúne milhares de aficionados na cidade de Águas de Lindóia, a cerca de 150 km da capital. Considerado o maior evento nacional em número de veículos antigos, mistura todas as tendências do automobilismo, além de caminhões, ônibus e motocicletas.

    Naquele ano a organização do evento arrecdou Leite em Pó para distribuição a entidades beneficentes da região. 

    Vários eventos paralelos á exposição acontecem nos 04 dias, como a feira de objetos e peças antigos, o Raid das Princesas que teve início na frente do Hotel Monte Real e seguiu para Serra Negra (as mulheres devem trajar rosa)  e a premiação dos veículos no último dia do evento, entre outros.

     

    Quem gosta de viajar de moto e curte Rota 66 não dispensa uma boa exposição de antigos. Em geral, os motociclistas formam grupos e vão à exposição, não só pelo evento em si, mas também pela beleza da região e as estradas que convidam a um passeio de moto. 

    Para acessar a feira não é necessária inscrição.

     

     

  • Harlistas.html

    Harlistas: An American Journey

     

    Harlistas: An American Journey é um olhar autêntico para a cultura do motociclismo Latino nos Estados Unidos, contado através de quatro histórias de personagens reais que se chamam orgulhosamente de “Harlistas – pilotos herdeiros de Harley Latino”.

    Neste primeiro documentário concebido e dirigido por Alfredo de Villa, Harlistas: An American Journey celebra o vínculo entre Harlistas e a sua fascinante devoção pela estrada, a cultura latina, as famílias, e a icônica marca de motocicleta norte-americana, a Harley-Davidson.

    Das planícies de Dakota do Sul para a Costa do Pacífico, para o Grand Canyon e lugares tão distantes como o Chihuahua no México, este documentário é um tributo emocional à cultura latina, à maneira Harlista de viver, e todos aqueles que buscam aventura, camaradagem e o sonho americano.

    Saiba mais sobre o filme.

    Artigo gentilmente cedido pelo site Viagem de Moto

Cadastre-se