Orçamento

Newsletter # 08

Nesta Newsletter você poderá ler:
1. Route 61
2. GPS
3. Crossroads
4. Arrumando as malas



  • R61.html

    Route 61

     

    Rota do Blues – uma estrada, às vezes, pode ser bem mais do que isso. As curvas daUS Route 61embalam o ritmo do rock e do blues. Seu trajeto acompanha o leito do rio Mississippi, tendo sido um importante elo de comunicação entre o sul e o norte dos EUA até o surgimento das rodovias Interestaduais. Embora igualmente histórica, ela não foi extinta como a Route 66, continuando uma opção até os dias de hoje. Você pode escolher! Se quiser viajar comfeeling, vá pela Route 61, sem pressa, na cadência do blues.

     

    Foi construída em 1926 e seu percurso total tem 2.300 km, começando em New Orleans (Louisiana) e terminando em Wyoming (Minnesota). A 61 tem sido referenciada ao longo de décadas por vários artistas da região, como Bob Dylan – que gravou um disco entitulado Highway 61 Revisited em 1965. Além da canção homônima, este excelente álbum traz Like a Rolling Stone, um de seus maiores sucessos.

    Na cidade de Clarkdale, Mississippi, a estrada cruza com a Highway 49. Reza a lenda que o cantor Robert Johnson fez um pacto com o demônio nessa “encruzilhada” para descobrir os mistérios do blues. O filmeCrossroads, de 1986, revive essa incrível lenda, além de retratar o famoso cruzamento. Ainda no estado do Mississippi, a 61 possui o maior trecho em reta numa rodovia (48 km), entre as cidades de Clarksdale e Tunica. A cantora de blues Bassie Smith, uma das maiores influências de Janis Joplin, morreu nessa reta, no ano de 1937. Seu namorado dirigia o carro e provavelmente ficou hipnotizado pela longa reta, batendo na traseira de um caminhão. Pela 61, você pode ir visitar a casa de Elvis, a Graceland, cidade que reserva muitas surpresas.

    Confira a nossa aventura pela Rota do Blues! Uma aventura inesquecível pelos estados mais musicais dos EUA, visitando as origens do rock’n'roll.

  • GPS.html

    GPS

    Cada vez mais confiável e acessível, o GPS deixa de ser um acessório de luxo, tornando-se um aliado quase indispensável na hora de viajar. No trânsito pesado das grandes cidades ele ainda não é tão útil, por falta de serviços que indiquem o caminho menos congestionado, uma facilidade que deverá estar disponível (e confiável) em breve.

    Porém na hora de viajar, tudo muda. Você insere o endereço ou a cidade que pretende ir, pode criar uma rota com várias paradas e mesmo procurar por postos de gasolina, restaurantes e outros pontos de interesse ao longo do caminho.

    Infelizmente, os aparelhos específicos para motocicletas ainda são muito caros. Contudo, se você costuma pegar estrada com freqüência, é um investimento a considerar. GPS para carro adaptado na moto acaba trazendo alguns inconvenientes, por não ser à prova d água. Seu visor também não é tão resistente à luz do sol, o que pode dificultar bastante a navegação durante o dia. Já o equipamento específico vem com o suporte para colocar no guidão/painel da moto (normalmente serve em qualquer moto) e o cabo de força para ligar à bateria, permitindo que ligue e desligue ao comando da chave. É à prova de choques e também costuma vir com uma base para instalar no vidro do carro, com outro cabo de força que serve na entrada do isqueiro.

     
     

    Se você vai viajar para o exterior, pode comprar com um preço mais barato. Nesse caso, deixo aqui algumas observações:

    - Se tem mais de uma moto, compre suporte e cabo de força sobressalente para as motos em que deseja instalar. Dessa forma pode instalar um suporte em cada moto, podendo sempre usar o GPS quando for sair. Preste atenção ao modelo do seu aparelho para não trazer o acessório errado.

     - O aparelho deverá vir com o mapa da região onde você comprou. Nesse caso, terá que comprar o mapa brasileiro para poder usá-lo aqui.

    - Normalmente esses aparelhos possuem entrada para a instalação de um memory card. Deixe o mapa original no aparelho e instale o mapa atualizado no memory card. É bem mais simples, se houver qualquer problema, é só formatar ou trocar o cartão.

    - Se você já usa um intercomunicador, um GPS com Bluetooth é muito interessante. Você pode parear o fone com o GPS e o GPS com seu aparelho celular, por exemplo: Dessa forma, poderá ouvir as instruções do GPS, seu MP3 favorito e acessar seu telefone ceular, com as funções de agenda e envio/recebimento de chamadas na tela do GPS.

    - Ao comprar um aparelho no exterior, a garantia do equipamento ficará comprometida devido à distância, assim como uma eventual troca por outro modelo. Procure informar-se sobre o modelo que pretende comprar, se possível com algum amigo que já possua, para obter informações detalhadas.

  • CrossRoads.html

    Crossroads

    Eugene (Ralph Macchio) é um garoto que estuda violão clássico na Juiliard em Nova York, e apaixonado por blues, particularmente por Robert Johnson, grande músico que diz a lenda, teria feito um pacto com o demônio, no cruzamento da Highway 61 com a 49, no Mississipi. Robert Johnson, ainda segundo a lenda, deixou uma música perdida, que motiva Eugene a tentar descobri-la.

    Através de um arquivo de jornais antigos, descobre que Willie Brown (Joe Seneca), um músico velho amigo de Johnson vive numa espécie de asilo-prisão. Eugene consegue convencê-lo após tocar um blues, pois Willie estava irredutível, negando até que fosse o velho músico. Diz a ele que conhece a música perdida e a ensinará se ele o levar ao Mississipi, para que ele resolva alguns “negócios inacabados”.

    Eles partem para o Mississipi, mas logo Eugene descobre que o velho mentira sobre ter dinheiro, fazendo com que eles passem por diversas dificuldades. Durante o caminho encontram com Frances (Jami Gertz) que passa a fazer parte do agora trio. Quando chegam à encruzilhada, Willie conta várias coisas a Eugene, entre elas, que as habilidades musicais dele e de Robert Johnson foram conseguidas por conta de um trato com o demônio, a quem entregaram a alma para consegui-las. O demônio aparece e mostra o contrato, dizendo que ainda é válido, apesar de as coisas não terem acontecido como Willie esperava que fossem. O demônio oferece uma chance de Willie ter sua alma de volta: um duelo de guitarras entre Eugene e um de seus “súditos”.

    Se Eugene ganhar, o contrato será rasgado, do contrário, ele também entrega sua alma.

    O guitarrista do duelo diabólico é Steve Vai, num clássico duelo de guitarras. O jovem então vence o duelo e os amigos continuam sua busca.

    Os solos ao longo do filme forma tocados pelos grandes músicos Ry Cooder e Steve Vai. Com elementos de sobra para quem curte o bom e velho rock´n´roll aqui num clima mais blueseiro, a aventura se dá na Route 61, lendária rodovia norte-americana, berço do blues do delta do Mississipi.

     
     

    Quer saber mais sobre essa lenda e conhecer esse cruzamento, acesse o site da Apex Travel.

  • Malas.html

    Arrumando a mala

    Há 2 semanas do início de mais uma aventura, como ficam as emoções nestes dias? Independente de quantas vezes já se viajou, bate uma sensação de aperto misturada com ansiedade e, por que não, um pouco de medo.

    Afinal, vamos atravessar o hemisfério e pegar uma moto num país diferente, outra língua, cultura, outra moto.

     Você escolheu uma moto parecida com a sua ou totalmente diferente? Se a escolha foi muito diferente, corre o risco (aconteceu comigo) de gostar tanto da moto que vai andar lá, que acaba comprando uma parecida ao voltar, quer seja pra substituir ou para somar à que já tem.

     
     

    Com certeza, quem vai viajar de moto no exterior, vai estrear alguma coisa: roteiros, lugares, estradas, até mesmo o passaporte, se for a primeira viagem. É o momento da realização de um sonho, um sonho bastante específico e desafiador.

    A dica é relaxar: não se preocupe, as rodovias são muito bem cuidadas, sinalizadas, os motoristas, em geral, são muito educados, quer seja de carro ou caminhão. As leis de trânsito são rigorosas, porém muito parecidas com as nossas.

    Se for viajar em grupo é ainda mais fácil, afinal terá uma equipe de apoio para lhe auxiliar com os caminhos, bagagens, hotéis, comunicação, etc.

    Lembre de levar somente o necessário na bagagem, afinal, por maior que seja o compartimento, você vai viajar de moto.

    Procure aproveitar cada minuto, mesmo estes que antecedem a aventura.

    Acompanhe dia-a-dia nossa aventura pela Rota 66, pelo nosso Facebook e Instagram!

Cadastre-se