Orçamento

Newsletter # 07

Nesta Newsletter você poderá ler:
1. Monument Valley
2. Zen e a arte da manutenção de motociclistas
3. Deixei cair a moto. E agora?
4. Vamos alongar?



  • Valley.html

    Monument Valley

    Está localizado próximo à divisa dos estados do Arizona e Utah, dentro da reserva dos índios Navajos. Suas fantásticas formações rochosas dão a impressão de se estar em algum outro planeta, numa das áreas mais desérticas dos Estados Unidos. Realmente, o sudoeste norte-americano apresenta rara beleza.

    Alguns dos filmes mais famosos da história do cinema western foram filmados lá, entre as décadas de 1930 e 1970.

    Chega-se ao Monument Valley pela US 163, vindo de Williams, na Rota 66. A estrada, apesar de afastada é muito bem asfaltada e com retas extensas, como de costume nos Estados Unidos. Está situado a 1.700 m do nível do mar.

    A cidade de Kayenta é uma das mais próximas e está localizada acerca de 30 km do vale, com boa infra-estrutura para acolher os turistas.

     
  • Zen.html

    Zen e a arte de manutanção da motociclistas

    Robert M. Pirsig e seu filho Chris, acompanhados do casal de amigos, John e Sylvia atravessaram os Estados Unidos de moto, (Minneapolis a San Francisco) no ano de 1968. Ocaminho escolhido se deu por estradas secundárias, dando preferência às belas paisagens, os lugares afastados e o convívio com a natureza. As motos: uma Honda Super Hawk 305 cc (Robert & Chris) e uma BMW R-50 500 cc (John & Sylvia).

    Robert convive e interage com sua moto de forma intensa. Ele estudou todo o funcionamento dela e se propõe a fazer os reparos necessários, ouvir cada barulho, analisar o comportamento nas diferentes situações em que a aventura apresenta. No entendimento dele, a moto tem vida, até personalidade.

     
     

    Já John pensa de forma diferente. Sua proposta é curtir a estrada e a moto é o meio que o leva ao destino escolhido. Ele gosta de motos, Robert gostadas motos.

    As personalidades diferentes não interferem no convívio dos amigos, muito pelo contrário.

    A aventura rendeu um livro, escrito em 1974 por Robert Pirsig, em primeira pessoa. Ele temperou a história com profundas reflexões filosóficas, que são mescladas com os detalhes da viagem, ao longo da narrativa. Na época não acreditaram nele, o livro foi recusado por 121 editores antes que William Morrow Publishers Inc. o publicasse em 1975, tornando-se um Best seller.

    Leitura extremamente recomendável aos amantes das estradas e das motos.

  • MotoCaiu.html

    Deixei cair a moto. E agora?

    Você está numa super viagem de moto, sozinho ou com sua esposa na garupa, passa por uma paisagem maravilhosa e resolve parar para tirar “a” foto da viagem. Nem bem diminuiu a velocidade já vai pensando qual o melhor ângulo, qual ajuste vai usar na câmera e como a foto será admirada pelos amigos. Daí esquece de planejar a parada, não vê um ressalto, uma pedra, descuida do descanso e lá vai a moto para o chão.

        

    O primeiro pensamentos é para os danos que a moto pode ter sofrido. Depois você olha para os lados pensando em quem pode ter visto o seu “mico”. Aí percebe que está sozinho ou no máximo com a esposa “mignon” e lembra que a moto pesa com a bagagem bem mais que 300 kg. Putz!!! Como uma pessoa de 80 kg vai levantar algo que pesa quase quatro vezes mais? O que fazer agora?         

    Muita gente entra em desespero, senta no chão e chora. Outros começam a desmontar a bagagem pensando que isto vai diminuir um pouco o peso e as dores nas costas que com certeza virão depois.     

        

    Calma!!! Existe uma técnica muito simples para levantar uma moto pesada, que até sua esposa “mignon” consegue executar sozinha, sem exigir da coluna mais do que ela aguenta. Ela é ensinada em treinamentos realizados pelas montadoras (sei que a BMW e a Harley-Davidson incluem esta técnica em seus cursos Riders).      

        

    Fiz uma compilação de informações que encontrei em diversos sites da internet para que este artigo fique o mais completo possível.                     

    Passo 1: avalie-se         

        

    • Dedique alguns minutos para se acalmar. Ver sua moto deitada no chão pode ser uma experiência traumática, mas isso acontece com todo mundo pelo menos uma vez.          

    • Dedique alguns minutos para fazer perguntas a si mesmo: você está machucado? É capaz de levantar sua moto em uma situação normal? Quer levantar a sua moto? Tem algum problema de saúde, como por exemplo na coluna?           

    • Dedique alguns minutos para relaxar e apreciar a situação: seria melhor se conseguisse ajuda. E se alguém vier te ajudar, não se esqueça de avisar para não tocar no escape quente, não tentar levantar a moto apoiando em peças frágeis, etc. Certifique-se também que quem está te ajudando o está fazendo corretamente. Você não vai querer que alguém se machuque não é mesmo?           

    Passo 2: Avalie o Ambiente                  

     Se a moto tombou em um local de tráfego intenso e perigoso e onde algum veículo pode vir a te atropelar, deixe a moto no chão e procure um lugar seguro enquanto aguarda ajuda ou enquanto avalia se é possível sinalizar o local.                  

    • Procure observar a legislação e as regras de segurança antes de tentar levantar sua moto.           

    • Dê uma olhada para o chão: você tem uma superfície firme para levantar a moto? É de cascalho? Se for, raspe o cascalho debaixo dos pneus e de onde você vai colocar os pés para fornecer tração. É asfalto molhado? A moto está ao lado de uma vala? Existe um aclive ou declive acentuado?           

    • Avalie se não há a possibilidade da moto rolar morro abaixo, aumentando o estrago ou você escorregar e ficar preso sob ela.           

        

    Passo 3: Avalie a Moto                   

    • Desligue o motor utilizando o interruptor de partida elétrica ou a chave de ignição.

    • Desligue o combustível usando a válvula de alimentação de combustível, se houver.

    • É comum derramar combustível nesta situação. Embora seja necessária uma faísca, chama ou fonte de ignição para que ocorra um incêndio ou explosão, tenha cuidado.

    • Se a moto está deitada sobre o lado direito, coloque o descanso lateral para baixo e engate uma marcha para evitar que ela se movimente.

    • Faça uma anotação mental desses fatos. Você não vai querer levantar sua moto e logo em seguida fazê-la cair do outro lado!

    Técnica para levantar a moto:

    A técnica ensina a utilizar os maiores e mais fortes músculos que nós temos, os músculos das pernas. O segredo para levantar uma moto grande é que você deve empurrar em vez de levantar.     

    1 – Se a moto estiver deitada sobre o lado direito, como a segunda foto ao lado, o descanso lateral deve ficar levantado. Se ela estiver deitada sobre o lado esquerdo, ele precisa necessariamente estar recolhido.

    2 – Gire o guidão de modo que a frente do pneu esteja apontando para baixo. Se possível, trave a direção nesta posição.

    3 – Encontre o “ponto de equilíbrio” dos dois pneus, do motor, protetor de motor ou pedaleiras. Será mais fácil levantar a moto se a parte abaixo deste ponto estiver apoiada no chão. Se a moto estiver inclinada mais de 45 graus, você vai ter que levantar um pouco no início. Quanto menor o ângulo de inclinação com a vertical, mais fácil fica colocar a moto de pé. Por isso, os primeiros centímetros vão ser os mais difíceis.

    4 – Encoste sua bunda (não as costas) na lateral do assento. Olhando para longe da moto, posicione-se para deixar somente a metade de baixo da bunda encostada no assento. Seus pés devem estar afastados não mais do que a linha dos ombros, e plantados FIRMES no solo. Os joelhos, dobrados de 40 a 50 graus. Mais do que isso e vai ficar muito difícil endireitá-los. Tenha muito cuidado para manter as costas retas e a cabeça para cima.

    5 – Com uma mão, segure firmemente o punho.

    6 – Com a outra mão, segure o quadro da motocicleta (ou qualquer parte sólida da moto), tendo o cuidado para evitar o escape, peças de plástico ou frágeis.

    7 – Levante com as pernas e dê pequenos passos para trás, empurrando o banco com a bunda e mantendo as costas retas. Em superfícies escorregadias ou com cascalho você vai ter mais dificuldade para aplicar esta técnica. Em superfícies inclinadas pode ser até perigoso.

    8 – Tenha cuidado para não levantar a moto e depois deixá-la cair para o outro lado!

    9 – Se a moto estava caída sobre o lado esquerdo, com um pé, abaixe o descanso lateral e recoste a moto sobre este. Se estava caída sobre o lado direito, você abaixou o descanso antes de começar a levantar. Neste caso, ao se aproximar da vertical, vá empurrando devagar e continue até encostar o apoio no chão.     

     
     
     
     
     
     
     

    Abaixo, dois vídeos que mostram o processo de forma bem detalhada. Não se engane com a aparência das duas motos usadas. Ambas pesam mais de 250 kg. No Youtube é possível encontrar dezenas de vídeos que ensinam a mesma técnica aplicada a vários modelos e marcas de motos diferentes. Basta consultar utilizando o termo “How to pick up a motorcycle“.

     

    E lembre-se: Levantar uma moto pode ser perigoso e causar lesões graves se for feito de forma incorreta. Você precisa pensar com clareza, usar o bom senso, e estar em boas condições físicas. Mantenha seu corpo e as costas retas, e faça força só com as pernas. Mantenha o controle da moto e nunca vire o corpo ao levantar. Verifique se não ocorreram danos na moto antes de retornar para sua viagem.

  • Alongamento.html

    Vamos alongar?

    Em uma viagem longa de moto, o cansaço normalmente começa a aparecer depois de algumas poucas horas. Esse cansaço, além de causar desgaste físico, também afeta algumas regiões do cérebro responsáveis pela atenção e pelos reflexos, aumentando exponencialmente a possibilidade de um acidente. É importante o motociclista ter consciência destas limitações para se preparar para elas, e uma das formas é uma parada de 10 a 15 minutos a cada uma hora e meia ou 150 quilômetros de estrada, o que vier primeiro. Neste tempo de parada, deve-se aproveitar para abastecer a moto, checar se está tudo ok com ela, ingerir líquidos e fazer alguns exercícios de alongamento muito simples, que vão tornar a pilotagem mais confortável, reduzir as dores, cansar menos a musculatura e com isto aumentar a segurança.

      

    Os exercícios abaixo são uma sugestão, e podem ser feitos antes de iniciar a viagem e a cada parada. Cada alongamento deve ser feito durante pelo menos 20 a 30 segundos. Conte mentalmente este tempo. Os movimentos durante o alongamento devem ser feitos até o limite de sentir um leve desconforto mas não deve provocar dor. 

     
     

    Alongamento da musculatura posterior do pescoço:

      

    De pé, entrelace os dedos das mãos sobre a nuca e force o queixo em direção ao peito. Mantenha os pés na mesma linha dos ombros.

     

    Alongamento da musculatura anterior do pescoço:

    Pegue os dois dedos polegares, feche as mãos, deixe os dedos abertos e os encoste embaixo do queixo, empurrando a cabeça para trás. Olhe para cima.

     

    Músculos laterais do pescoço:

      

    Com os pés paralelos, coloque a mão esquerda no lado direito da cabeça, puxando-a para o lado oposto para alongar toda a parte direita. Incline o máximo como se quisesse tocar a orelha no ombro. Em seguida, faça o mesmo exercício mas do lado oposto. 

     

    Alongamento dos flexores e extensores de braço:

      

    É uma parte fundamental para os motociclistas, pois se encarrega dos movimentos do guidão, acelerador e freio. De pé, estenda a mão para frente, pegue nas costas dela, mantendo o cotovelo reto. Puxe para baixo e sinta a musculatura. No mesmo movimento, você vai colocar a palma da mão para cima, vai puxar para baixo pela ponta dos dedos, mantendo o cotovelo sempre reto. Isso serve para sentir o antebraço esticar, uma musculatura que se usa bastante para aceleração e desaceleração da motocicleta. Faça nas duas mãos. 

     

    Alongamento dos ombros:

      

    Lado direito: Eleve o braço direito como se fossa passar a mão por trás da cabeça. Em seguida segure no cotovelo com a mão contra lateral, puxando-a nesta direção. Em seguida repita o exercício com o ombro esquerdo. 

     

    Alongamento dos extensores e flexores de pé:

      

    Pegue no peito do pé ou na ponta dos dedos, o que é o ideal, encoste o calcanhar no glúteo (nádega), joelho com joelho (alinhados), puxe alongando. A outra perna fica levemente flexionada para não forçar a articulação do joelho. Repita com a outra perna. 

     

    Alongamento da musculatura dorsal:

      

    Mantenha os pés juntos e desça lentamente tentado tocar as pontas dos dedos nos pés. Abaixe até o seu limite e mantenha esta postura por cerca de 20 a 30 segundos. Em seguida levante devagar, apóie as mãos na cintura e incline o máximo possível para trás mantendo também por cerca de 20 a 30 segundos. 

    Estes alongamentos podem ser repetidos ao longo do dia e nas paradas nas viagens. Há vários outros tipos de exercícios, mas estes são básicos e visam alongar os principais músculos usados na pilotagem, dando conforto e relaxamento, evitando cansaço e lesões musculares.  

    Transforme o relaxamento em um hábito, mesmo nos dias em que não for pilotar. Eles te deixarão mais flexível e auxiliarão também na circulação sanguínea através das contrações musculares, o que reduz o risco de cãibras.  

    Texto escrito por Rômulo Provetti e gentilmente cedido pelo site Viagem de Moto. 

Cadastre-se