Orçamento

Newsletter # 06

Nesta Newsletter você poderá ler: 
1.Abastecendo a moto
2.Grand Canyon
3.Rock movie



  • Abastecendo.html

    Abastecendo a moto

    Abastecimento – Os postos de combustível norte americanos são do tipo “self-service”. Você encosta sua moto ao lado da bomba e faz todo o serviço. Pode pagar no caixa (em dinheiro ou cartão) ou passar seu cartão de crédito ou débito internacional na bomba de combustível.

     

    1-     Na bomba – Insira o cartão de crédito ou débito e digite os dados pedidos. Você pode inserir o valor desejado ou “fill up” que significa “encher o tanque”. É informado no visor para que você escolha o tipo de gasolina desejada – normalmente 3 opções: comum, aditivada e premium. Retire a mangueira e abasteça. As bombas costumam ter uma espécie de sanfona para evitar que a gasolina espirre. Basta você colocá-la no bocal do tanque, o máximo possível sem forçar, e apertar o gatilho para encher. Ela vai desligar quando o tanque estiver cheio ou atingir o valor pedido. A dica é sempre mandar completar, afinal você está viajando e vai usar toda a gasolina. É meio difícil fazer aquele ajuste fino que nossos frentistas costumam para deixar o tanque bem cheio. A diferença será pequena, não compensa o risco de deixar vazar gasolina na moto.

    2-     No caixa – Dirija-se ao caixa do posto e informe em que bomba vai abastecer. Ele vai passar seu cartão e perguntar o valor desejado. Para pagar em dinheiro,  pague e vá à bomba para abastecer. Se houver troco após o abastecimento, retorne para pegá-lo.

    Após o término da operação, coloque a mangueira da bomba de volta no local indicado e aparecerá na tela uma mensagem perguntando se você quer emitir um recibo.

    Nos postos americanos costuma ter um recipiente com água e um rodinho para você lavar o pára-brisa da moto. Há também toalha de papel.

    Importante - ao chegar ou sair do posto, evite freadas ou acelerações bruscas. Apesar da constante manutenção e limpeza, o chão costuma ser escorregadio, podem haver respingos de óleo e combustível.

    A operação acaba sendo divertida, pois tem muito a ver com o espírito de uma aventura de moto pelas estradas.

  • Grand_Canyon.html

    Grand Canyon

    O Parque Nacional do Grand Canyon tem sido visitado por muitos turistas desde que foi inaugurado, em 1919. São quase 05 milhões de pessoas por ano, atualmente.

    Certamente, uma das razões para tamanha procura está na sua incrível beleza, uma das sete maravilhas do mundo moderno.

     

    Suas paisagens incríveis foram esculpidas ao longo dos séculos, com rochas de diversas tonalidades, que produzem uma beleza bastante peculiar.

    Está localizado na região noroeste do Arizona, próximo às fronteiras de Utah e Nevada e é cortado pelo Rio Colorado, criando uma divisão do parque em duas bordas: Norte e Sul.

    O acesso à Borda Sul recebe 90% da visitação e fica próximo às cidades de Williams e Flagstaff. O acesso principal se dá através da Rodovia Interestadual I-40. Próximo também da Rota 66!

    Além dos inúmeros mirantes ao longo do parque, também é possível contratar um serviço de helicóptero para sobrevoar o Canyon.

    A Borda Norte é mais selvagem e de difícil acesso. Fica aberta à visitação entre meados de maio e outubro.

    Há ainda a possibilidade de se visitar o Grand Canyon pela Borda Oeste, onde recentemente (2007) foi inaugurado o Skywalk, uma plataforma transparente que permite se andar sobre o Canyon, como se estivesse flutuando. A Borda Oeste está fora dos domínios do parque, pois pertence aos índios Hualapai (Wall-uh-pie). Seu acesso se dá por estradas de terra, através das cidades de Meadview ou Peach Springs.

    Nosso Roteiro Route 66 and Wild West passa lá.

    Para saber mais sobre o Grand Canyon:

     Site oficial do Parque

    Wikipedia

     
  • Rock_Movie.html

    Rock movie


    Vanishing Point – é um Cult Movie. Segundo a Wikipedia, é um filme que atrai um grupo dedicado de seguidores ou fãs obsessivos, apesar de ter falhado comercialmente em seu lançamento. “Corrida contra o Destino” como é chamado aqui no Brasil é um desses filmes que reúne elementos que fascinam aqueles que já nasceram com “alguma gasolina no sangue”. O “protagonista” da aventura é um Dodge Challenger 1970, que está para o filme assim como o De Lorean MC está para o filme “De Volta para o Futuro”.

     

    É também chamado de Road Movie, ao lado de filmes como: ”Easy Rider”, “Gone in 60 seconds” e “Thelma & Louise”, entre outros.

    Conta a história de Kowalski, personagem vivido por Barry Newman. Ex-combatente do Vietnam e ex-policial que foi expulso por uso de drogas, Kowalski é entregador de carros em Denver, no Colorado. Ele é chamado para entregar um carro em São Francisco e faz uma aposta, chegaria em 15 horas no destino. 1.200 milhas, ou 1.950 km. Se fosse de moto, estaria perfeitamente enquadrado na categoria Iron Butt.

    Como já havia dirigido por muitas horas mesmo antes de começar a aventura, passa num bar e compra algumas pílulas (rebites) para aguentar a viagem. Logo no início da aventura é abordado por alguns policiais (2 Harley-Davidson Pan Head) mas está “viajando”, não percebe que eles o mandam parar e acaba derrubando os caras. Daí em diante o filme se torna uma perseguição total, com direito a ajuda de um disk-jockey que fica sabendo de sua escapada e o ajuda através de seu programa. O filme reúne fortes elementos da época, como os Mopars, Harley-Davidson, Rota 66, psicodelia e rock´n´roll, ou seja, garantia de ação e entretenimento.

    Você pode não conhecer o filme, mas certamente já ouviu uma das músicas de sua trilha sonora: Freedom of Expression é tema de um dos programas mais antigos da TV brasileira e é creditada a um conjunto de nome “J.B Pickers”, o qual não se sabe quase nada. Especula-se que o J.B é de Jeff Beck. Será?



    Em 1.997 foi feito um re-make do filme para televisão, não tão carismático mas com muitas cenas de perseguição com carros. 

    Essas estradas passam pela região onde nós também passaremos em nossas aventuras. Vale a pena conferir.



Cadastre-se